Arquivo de flores

hoje terias 45 anos, “olhos sem cor”

Posted in só na minha cabeça with tags , , , , , , , , , , , , on Outubro 22, 2010 by João Carvalho

caiu uma noite de cimento
por cima dos teus olhos
e o tempo está quieto
faz horas que ali está
uma árvore talvez pudesse
arrancar uma lua dessa noite
e deixar-te a correr com o tempo
devagar
caiu uma noite sobre a tua árvore
e o tempo está quieto
o tempo está quieto
e tu passas  e abres ramos
tu passas  e abres olhos
devagar  sem cor

(2006)

Olaf Hajek

Posted in só na minha cabeça with tags , , , on Junho 26, 2010 by João Carvalho

Tree - Olaf Hajek


"Iris", painting for exhibition "Flowerhead" in Berlin

sítio

jardim

Posted in só na minha cabeça with tags , , on Maio 4, 2009 by João Carvalho

rosasamarelas

farta mesa para estar

Posted in só na minha cabeça with tags , , , , on Março 21, 2009 by João Carvalho

O que tem o regabofe além de ser um blogue de dois homens (e a prová-lo está esta posta aberta de bacalhau), o Allen e o Woody, que julgam (os dois ao mesmo tempo) que são duas mulheres, e para isso vestem-se a preceito e que escrevem, às vezes, coisas tão compreensíves – agora não me lembro de nada para dar como exemplo e também não me apetece ir pesquisar para depois vir aqui meter o linque – como imagens como esta – afinal sempre fui; sim, o que tem o Allen, além de ser completamente dono de uma agricultura de subsistência ímpar, possuidor de uma cameleira igual à minha, (apesar da minha ter sido desvastada por um cão maldito que se morrer – a cameleira, entenda-se – o cão não sobrevive para contar a história do meu suicídio), e chama-lhe japoneira coisa que eu não sabia e dá japonias (a minha apenas no inverno, creio, mas eu de damas nada percebo apenas que florescem), e por vezes me darem cabo (eles) da cabeça para descobrir onde está a merda do botão de pause do som da música que um ou outro lá meteram a tocar automaticamente para me fazer nervos, que eu coisas automáticas só mesmo as escadas rolantes e a moulinex que uso para moer o café em grão, as primeiras porque sonho um dia lá ficar com os pés presos e a segunda que me corte os dedos num domingo? Não tem nada de especial, mas confesso que gosto mais do allen do que do demónio-woody-ténis que ainda não percebi se gosta do dito porque o federer existe ou se deste porque joga o dito; eu ténis já não vejo desde o americano nem jogo que o reumático não ajuda, e quem é que quer saber disto também!. Tenho, na verdade, uma paixão platónica por estes dois, que repito, são dois e não duas, e por isso têm a partir de hoje, ali o seu linque à direita de quem entra, ou à esquerda de quem não bate bem da bola. Ah, também gosto da Ana (esta sim é uma mulher)  mas isso é paixão para outra tarde de início de primavera.