Arquivo de casa

e eu a dar-lhe com os cortinados

Posted in só na minha cabeça with tags , , on Dezembro 4, 2009 by João Carvalho

e você, já encontrou a sua mulher interior?

Anúncios

E você, já encontrou a sua mulher interior?

Posted in só na minha cabeça with tags , , on Dezembro 4, 2009 by João Carvalho

devia haver assim cortinados para sempre

doc Lx ’09

Posted in só na minha cabeça with tags , , , , on Outubro 18, 2009 by João Carvalho

9h20m

o acordar já está
o miúdo já está (na TV)
o banho já está
os cereais já estão, o café já está
a louça já está
o cão já está
a roupa branca já está
a roupa de cor já está
a TV já não está
os TPC já estão
o intermarché já está
o almoço já está
a sopa já está
o miúdo a estudar já está
o chá já está

16h05m

o eixo do mal já está
o Público de sexta já está
o lanche já está
a sopa agora é que já está (faltava o feijão verde)
o jardim já está
o sporting ainda não está

19h05m

o mail já está
o sporting já está (diz-me, aliviada, a c. pelo msn)

19h59m

o telejornal já está
o Escolhas de Marcelo já está (xéxé)
o jantar já está
o almoço para amanhã já está
o equipamento de ginástica do miúdo já está
a mochila idem
o miúdo já tá (na cama)

21h50m

o filme da 1 já está
a fashion tv já está
a máquina de lavar loiça já está
o domingo já está

00h51m

um homem sabe que enlouqueceu

Posted in só na minha cabeça with tags , , , on Maio 24, 2009 by João Carvalho

Um homem sabe que enlouqueceu quando arranja um sistema de contabilizar o nº de doses gastas de detergente de máquina de lavar roupa, semelhante ao usado pelos viciados na sueca, apenas para se assegurar que não está a ser vítima de publicidade enganosa através nº de doses anunciado na embalagem.

É claro que o melhor remédio para este tipo de loucura um homem também sabe qual é: arranjar uma mulher que lhe trate da roupa. Embora esta solução traga sempre dissabores e efeitos secundários.

Uma coisa é certa: este auto-diagnóstico e respectiva remédio tem a mais-valia de não enriquecer os bolsos de um qualquer psicólogo psiquiatra. É sempre bom quando temos o domínio da nossa mente, sã ou nem por isso.

mousse de chocolate

Posted in só na minha cabeça with tags , , , , , on Maio 17, 2009 by João Carvalho

Tu fazias a mousse de chocolate de uma forma que mais ninguém fazia e por isso as tuas mousses de chocolate eram imperdíveis! Devia ter aprendido contigo a fazer mousse de chocolate. Tantas vezes te vi fazê-la e tantas vezes esqueci o principal. Tantas vezes não prestei atenção. Hão-de dizer que mousse de chocolate é simples de fazer e não tem segredos. Hão-de dizer imensas coisas e de imensas coisas que não guardam segredos. Esqueci como se faz a tua mousse de chocolate. Hão-de dizer que não é importante. Mas hoje é domingo e devíamos ter a tua mousse de chocolate a arrefecer no frigorífico para depois do almoço. Hão-de dizer imensas coisas, todas irrefutáveis, a não ser pela tua mousse de chocolate que não aprendi a fazer a tempo.

95 channels and nothing on

Posted in só na minha cabeça with tags , , , , on Maio 8, 2009 by João Carvalho

Ontem vieram instalar cá em casa o serviço meo. Um homem, que tratou da parte complicada dos fios, telefones, caixas de entrada, de saída, pontos-não-sei-quê, e uma mulher que tratou da montagem dos aparelhos, box e router, e fez o apiloudi dos canais na box. Ambos brasileiros. Simpáticos, transmitiam confiança. Depois de 2 horas em que foi necessário, regressarem à central porque mais-não-sei-o-quê-do-porto estava mudo, descobrir que tinha um telefone avariado, e uns fios não sei onde tinham oxidado e que substituiram, lá ficamos com o serviço meo instalado em casa. Durante o tempo que demorou a instalação pude reparar na senhora, com os olhos atentos a certas coisas que por aqui estão penduradas nas paredes e móveis, mas uma atenção não de curiosa e de cuscovelhice, mas sim de um certo interesse, gosto e… saudade. Também perguntou pelo miúdo, pela idade do miúdo, e se tinha mais filhos e que o dela era um ano mais novo… Não sei fazer conversa deste género. Podia ter perguntado coisas sobre ela, sobre o filho, sobre o homem, se eram marido e mulher, há quanto tempo estão em portugal a trabalhar mais de 12 horas por dia mais fins de semana. Só me ocorreu tudo isso depois, quando os vi sair, cansados, ansiosos pelo final do dia de trabalho. Nem sequer lhes ofereci uma bebida, ou uma fatia de bolo, restos de uma festa que por cá houve. Nem lhe perguntei o nome. Nem o do filho. Apetece-me reportar uma avaria no meo só para os ver regressar e corrigir a falta que agora sinto. Senti pena deles, gente de trabalho, e que trabalha bem. Devia era sentir pena de mim.

jardim

Posted in só na minha cabeça with tags , , on Maio 4, 2009 by João Carvalho

rosasamarelas