o Zézito quer fazer o favor de responder, se não for muito incómodo?, (obrigado)

(e a comunicação social não quer também fazer o favor de lhe perguntar?)

1. Alguma vez, no decorrer da sua vida política, no desempenho de um cargo público, o Zézito o 1º ministro José Sócrates, permitiu que elementos da sua família, tios, sobrinhos, padrinhos, primos, etc., ou mesmo elementos do seu círculo de amigos o usassem, para realizar/concretizar/facilitar/promover reuniões (ou outros fins), para resolver questões económicas de terceiros e a favor destes? Quantas vezes isso ocorreu? nenhuma, uma, mais do que uma, muitas? acontece todos os dias?

2. É comum e/ou admissível que um ministro reúna com promotores privados de um projecto económico ou seus representantes, projecto esse já chumbado pelo seu ministério, apenas para discutir/apresentar regras e exigências ambientais que estão na lei e são públicas, e que deviam ser transmitidas aos tais promotores privados apenas pelos serviços públicos do ministério? Um ministro não tem outras coisas para fazer?

3. Porque razão alterou o Zézito o então ministro do ambiente a ZPE – zona de proteção especial do estuário do tejo? Com que critérios e exigências? Onde estão escritos esses critérios? Quem os definiu e transmitiu aos gabinetes governativos (Secretário de Estado+Ministro)? (pois presumo que não terão sido os próprios que decidiram da sua necessidade após uma qualquer noite de pesadelos). De onde, de quem partiu a ideia? E porquê naquela altura, durante um governo de gestão?

O resto que anda por aí, luvas, dinheiros, offshores, se for concluído que deve haver suspeitos, os mesmos que sejam julgados… nos tribunais.

Anúncios

Os comentários estão fechados.