vazio

Neste momento, ou melhor, mesmo agora há um minuto atrás, não estava a acontecer absolutamente nada no meu cérebro. Exactamente como aqueles momentos em que ficamos a olhar o infinito [uma pessoa uma vez disse-me que a isso chamava-se dormir para dentro] até que sentimos o vento leve de uma mão que se levanta defronte dos olhos e uma voz que nos pergunta onde estamos? e nós respondemos com um regresso ao mundo do nosso fantasma, da nossa sombra…para sorrir, e só porque temos os olhos pousados em algo parece que o vazio deixa de existir; mas ele está ali, ao nosso lado. É estranho, algo estar ao nosso lado, só nós o sentirmos, e termos de dormir para dentro para olhar.

Anúncios

Os comentários estão fechados.